Skip to main content

IAM & PAM Gerenciamento de Identidades e Acessos Privilegiados

artigo IAM e PAM Gerenciamento de Identidades e Acessos Privilegiados

No mundo corporativo, em especial nos sistemas das empresas, os gestores de segurança da informação e proteção de dados, precisam aprender a gerenciar os riscos de invasões e vazamentos de dados. Informação é um ativo e ele deve ser preservado de acordo com seu valor.
Uma estrutura de segurança precisa ter como base um tripé de pessoas, processos e tecnologia. Ao dar acesso a um determinado ativo ou informação, a organização pode comprometer a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade de seus dados e os riscos devem ser controlados.
Uma forma de proteção é uma boa gestão de acessos e identidades. O ideal é fornecer permissões de acesso somente às pessoas certas, no momento adequado e apenas a dados predeterminados. Assim como revogar o acesso no tempo certo.
Entenda melhor nesse post a importância do Gerenciamento de Identidades e Acesso (IAM) e do Gerenciamento de Acesso Privilegiado (PAM).

Tenha uma boa leitura!

IAM e PAM coligados pela segurança

Imagine uma distribuição de acessos e permissões no sistema do grupo de telecomunicações, por exemplo. Nesta estrutura, cada cliente, colaborador ou fornecedor terá sua identidade e acesso a diferentes canais dependendo do nível de permissões. A pessoa pode entrar em sua conta e fazer comentários em notícias na página virtual, mas talvez não tenha permissão de acesso ao streaming. Ou tenha acesso com limitações em relação aos demais canais exclusivos.

Esse controle de acesso aos clientes do grupo de telecomunicações também ocorre internamente entre todos os colaboradores da empresa. Cada um deles terá sua identidade e uma limitação de até onde podem chegar. Um jornalista da empresa não terá o mesmo acesso que o diretor comercial, um ator não precisa ter o mesmo acesso que o núcleo financeiro e assim por diante.

Gerenciamento de Identidade e Acessos – IAM

O Gerenciamento de Identidade e Acessos (IAM) é o processo que consiste em administrar a relação entre pessoas e os ativos de informação de uma organização.

A identidade é a representação de alguém dentro de um ambiente digital. E a gestão de identidades e acessos consiste no uso de estratégias e a aplicação de ferramentas tecnológicas de segurança para administrar as identidades digitais.

Esse processo integrará a proteção e autenticação de uma identidade, junto com a permissão para acessar recursos. Um bom gerenciamento facilita, por exemplo, a gestão de usuários que têm uma única identidade, mas obtêm acesso a inúmeras outras contas.

Vale destacar que, neste caso, cada uma dessas contas terá uma permissão de acesso diferente, embora a identidade seja a mesma.

Atualmente, a integração de sistemas envolve um conjunto de ferramentas para garantir maior segurança ao processo. Algumas das ferramentas são Single Sign-On, Identity of Things (IDoT), entre outras.
Entre os processos de implementação do IAM destacam-se:

Governança e Administração de Identidades: é realizado um inventário dos sistemas, dos perfis de acesso e identidades. Com definição de fluxos, papéis e responsabilidades. Aqui, são organizadas as identidades. Além disso, deve ser feita a categorização de colaboradores, prestadores de serviço, representantes e clientes.
Provisionamento Automático: criação ou desabilitação de contas de usuário e alterações de senhas. Cadastros e atualizações dos dados de pessoas envolvidas no sistema.
Portal de Autosserviço: aqui o usuário pode redefinir sua senha de acesso de forma rápida e simples, além de administrar sua identidade e solicitar novos acessos ou acompanhar o andamento de antigas solicitações.
Auditoria Automatizada: é importante que pessoas que não possuam mais relacionamento com a organização tenham suas contas desativadas ou removidas. A auditoria periódica é capaz de bloquear e gerar um incidente para contas não aprovadas, entre outras ações automáticas.

Para facilitar a gestão de usuários o sistema e garantir que apenas pessoas autorizadas tenham acesso aos recursos corretos, algumas ações são importantes:

● Capturar e autenticar o login do usuário, salvando suas informações;
● Implementar ferramentas de permissão, como a assinatura criptografada;
● Definir serviços de armazenamento;
● Adicionar ou excluir usuários e alterar permissões de acesso;
● Salvar o histórico de acesso aos sistemas;
● Elaborar relatórios de uso das aplicações e políticas de acesso ao sistema.

Gerenciamento de Acesso Privilegiado – PAM

Se a linha de frente é o IAM, que vai definir e gerenciar as identidades existentes, em seguida é preciso controlar e monitorar credenciais privilegiadas. Na gestão da identidade e acesso, existe ainda outro processo importante, o Gerenciamento de Acesso Privilegiado (PAM).

Soluções PAM funcionam como outra camada de segurança agregada ao IAM. Elas visam proteger dados críticos de usuários privilegiados que possam usar os benefícios de acesso de forma incorreta. Enquanto sistemas IAM habilitam e removem acessos, soluções PAM apresentam outros recursos importantes como:

● Cofres de senhas;
● Limites de uso;
● Visibilidade;
● Discovery.

O PAM permite a categorização dos usuários conforme o nível de acesso. São três categorias principais: separação de privilégios, superusuários e mínimo privilégio.

Ao combinar o uso de soluções IAM e PAM, a equipe de TI e/ ou segurança digital consegue otimizar o gerenciamento de identidades, aumentando o nível de segurança da informação.

O uso do IAM para mitigar riscos

Claro que ter agilidade nos negócios e no atendimento ao cliente é importante para uma organização. Além disso, ter uma estratégia com boas práticas de segurança é outro fator decisivo para o sucesso do seu negócio.
A boa notícia é que você pode automatizar os processos de Gestão de Identidades e Acesso, mantendo a segurança dos seus ativos e tornando as operações mais eficientes e escaláveis.
De maneira objetiva, o gerenciamento de identidades e acesso (IAM) determina quem é o usuário e até onde ele terá acesso dentro do sistema.
Imagine um grande show que envolve milhares de pessoas. Quando o convidado chega ao local do evento com seu ingresso na mão, ele terá que apresentar seu documento de identidade e ingresso aos responsáveis pela entrada.
O ingresso terá informações sobre o setor em que a pessoa tem direito de acesso à área vip, próximo ao palco, por exemplo, bem como deverá indicar se bebida e comida estão ou não incluídas no pacote de acesso. Sem tais informações, todos entrariam onde bem entendessem e as coisas ficariam impossíveis de controlar.
Dentro de um ambiente de trabalho os riscos das coisas perderem o rumo também existem. Vazamentos de dados, roubos de identidades e credenciais não são raros. Ao contrário, o índice de invasão e roubo de dados é alto e preocupante.
Tanto as ameaças à integridade do sistema quanto boas práticas de segurança são conhecidas. Por isso, cabe ao gestor da área responsável por segurança, investir em soluções que sejam capazes de otimizar a gestão de identidades e acessos, maximizando o nível de proteção da companhia. Principalmente agora, quando o sistema de trabalho remoto ganha força e a gestão de acesso aos dados precisa ser ampla e oferecer muita agilidade.

Gostou do artigo e quer saber mais sobre o tema? Não deixe de acompanhar o blog e se inscreva na nossa newsletter: