Skip to main content

Gerenciando Identidades e Acessos com Maestria

By 12 de agosto de 2021novembro 26th, 2021Gestão de Identidade, Segurança da Informação

Gerenciando Identidades e Acessos com Maestria

Existe uma preocupação crescente no mundo corporativo, que diz respeito à segurança dos dados e dados sensíveis. Estariam as empresas modernas tomando os cuidados necessários para manter as informações protegidas?

Eventos recentes, como a pandemia e o crescente número de ataques cibernéticos impactaram diretamente a percepção dos gestores quanto à necessidade de aprimorar os cuidados neste aspecto.

Neste post você entenderá como implantar um projeto de Gestão de Identidades e Acessos de forma perene, compreendendo as medidas certas para manter a segurança dos dados de sua corporação.

A Gestão de Identidade de Acessos

O conceito de IDM – Identity Management (Gerenciamento de Identidades) se refere a gestão por trás dos dados dos usuários de uma empresa.

Sempre que um colaborador é admitido ou demitido, a gestão interna precisa liberar ou bloquear os acessos. Nesses momentos, existe a concessão de permissão do time de TI ou área de segurança da informação e, também, da equipe gestora da área.

Lidar com os dados e informações, muitas vezes sigilosas e valiosas é uma tarefa de enorme responsabilidade, pois esses cuidados refletem de forma direta na imagem da empresa. É notável que alguns eventos recentes aumentaram essa preocupação.

A pandemia do Coronavírus (SarS-COV 2) obrigou as empresas a remodelarem a forma de atuar. O trabalho home office passou a ser uma nova rotina e com isso o controle de acessos passou a ser gerenciado à distância.

Outro fato inequívoco é que a chegada da LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados trouxe normativas para especificar os cuidados que precisam ser seguidos pelas empresas.

Essa necessidade pode ser observada no artigo 46 da lei: “Os agentes de tratamento devem adotar medidas de segurança, técnicas e administrativas aptas a proteger os dados pessoais de acessos não autorizados […]”.

Por fim, uma crescente alta no índice de ataques cibernéticos acendeu o alerta das equipes gestoras. O momento de aprimorar os cuidados com a gestão dos acessos é agora.

Mais recentemente, um novo conceito passou a substituir a ideia de IDM, é o IAM – Identity And Access Management (Gerenciamento de Identidades e Acessos).

Optou-se por acrescentar o termo “acessos” pois ele aborda a gestão de uma forma mais ampla. Atualmente, usuários de uma mesma organização contam com níveis de acessos muito distintos, por isso decidiu-se especificar essa questão. 

Se você busca a excelência com a gestão dos acessos, então é imprescindível que siga os 4 passos elencados abaixo:

1 – A escolha da tecnologia ideal

Antes de mais nada é importante buscar pelas melhores tecnologias, essas que devem se integrar perfeitamente com o que já é utilizado em seu ambiente de trabalho.

Integrações com os sistemas da empresa garantem que a agilidade e segurança estarão em todas as operações.

2 – Mapeamento dos processos

Se você já possui todas as ferramentas, então é hora de mapear todos os processos, detalhando as minúcias dos workflows existentes.

A experiência do usuário é um ponto muito importante e que deve ser levado em consideração. Práticas de self registration e password recovery devem ser elaboradas visando a praticidade do usuário final.

Observe em seu fluxo todos os possíveis cenários e faça todos os testes necessários antes de iniciar a operação. Lembre-se também de checar se toda a infraestrutura está adequada aos conceitos da LGPD.

3 – Implantação da cultura interna

Se todos os processos tecnológicos estão bem definidos, então é hora de estabelecer uma nova cultura interna, é preciso moldar um novo ambiente, capacitando os profissionais para as novas experiências.

Algumas etapas de autenticação serão eliminadas, pois agora o agente de integração de solução IAM se encarregará de vincular todos os perfis. Logo, os critérios de segurança no processo de logon precisarão ser aprimorados.

Em períodos de ausência, como o de férias, os colaboradores poderão estar inabilitados para acessar o sistema, portanto, é fundamental que se compreenda a importância dessas medidas para a segurança dos dados internos.

O time deve estar integrado para agir em prol da segurança mútua, adotando medidas de segurança na utilização dos sistemas e seguindo rigorosamente as práticas estabelecidas pelo time responsável pela gestão da IAM.

4 – O gerenciamento dos perfis

Por fim, os perfis precisam ser estabelecidos com total transparência e clareza na definição. Alguns níveis terão mais privilégios do que outros e isso precisa estar muito bem especificado para os times.

As informações precisam estar alinhadas e os sistemas atualizados em tempo real, para manter equipes, como a do RH, atualizadas com os últimos updates da base de dados.

O importante aqui é que todos tenham conhecimento do processo, saibam quais são seus papéis e também as principais práticas de segurança. O ideal é que os times se reúnam esporadicamente para refinar as boas práticas.

Segurança da informação em primeiro lugar

As etapas acima demonstradas não se tratam de tecnologias específicas, nem mesmo de regras absolutas. São padrões de comportamento que simbolizam uma gestão madura e apta para enfrentar os desafios do controle de acessos.

Antes de mais nada é preciso entender como eles podem fazer sentido dentro de sua organização. Observe ao seu redor e perceba como cada um dos itens apresentados funcionam.

Mantenha aquilo que apresenta um bom índice de eficiência e otimize aquilo que pode ser aprimorado de forma contínua e colha os resultados de uma gestão saudável e eficiente.

Leia também: