(11) 5521-2021 [email protected]

Entender o funcionamento da moeda virtual bitcoin é o primeiro passo para a segurança virtual

Você sabia? Uma nova proposta de modelo econômico e financeiro está em crescimento no Brasil: o Bitcoin.

Esta nova moeda virtual tem como promessa revolucionar a transição em negociações de todo o mundo. Mas será mesmo que esse novo modelo de “dinheiro na internet” é seguro e vantajoso?

Bitcoin

Primeiro: O que é bitcoin?

O bitcoin, diferente do que se pensa, não é uma nova forma de pagamento pela internet, mas sim um novo modelo de moeda virtual.

Foi criada em 2009 por Satoshi Nakamoto, que desenvolveu todo seu conceito com ajuda de diversos programadores.

Além disso, o Bitcoin não tem nada de uma moeda virtual convencional. Afinal, este modelo não possui nenhum tipo de instituição financeira como intermediária.

Todas as transações são feitas de pessoa para pessoa e suas regras são baseadas por usuários denominados como “responsáveis” pela regulação do dinheiro virtual.

Como funciona o Bitcoin?

De maneira geral, esta moeda virtual é composta por um conjunto de regras e processos computacionais em que é possível realizar compras.

Protegida de maneira criptografada, as transações de bitcoins são feitas por uma rede P2P. A sigla significa “peer-to-peer”, ou seja, par-a-par ou ponto-a-ponto – sem qualquer intermediário financeiro.

Para isso, é necessário ter uma carteira virtual, criada gratuitamente na web. Após o cadastro, é criado um endereço para a realização de qualquer transação.

Riscos vs Segurança da moeda virtual Bitcoin

Você deve pensar que, diante dessas informações, a utilização da moeda virtual bitcoin é prática e traz vantagens, certo?

Mas por trás de toda essa operação, existe um complexo sistema e detalhes técnicos para o uso da moeda.

Por isso, é importante atentar-se aos riscos e segurança da bitcoin.

Segurança com bitcoin

Entre as vantagens da utilização do bitcoin estão:

  • Confidencialidade nas transações;
  • Controle apenas pelo “dono da carteira”;
  • Menores taxas de transação comparadas com operadores de cartão e bancos,
  • Utilização sem intermediários e por criptografia.

Essas características fazem com que a utilização da moeda virtual dê maior sensação de segurança ao usuário, além dos benefícios de seu uso.

Por outro lado: o bitcoin tem sido a moeda virtual predileta dos cibercrimes!

Riscos com bitcoin

O bitcoin vem sendo bastante utilizado para crimes virtuais, principalmente quando o assunto é sequestro de dados.

Ou seja, a moeda virtual é usada como meio de “resgate” de dados de sistemas sequestrados.

Por meio de Ransomware – um malware que explicamos tudo aqui neste outro blog post -, os criminosos bloqueiam dados e informações vitais de sua empresa, com a condição da transação de bitcoins.

Isso porque, entre os riscos da moeda virtual, estão:

  • O fato de que o usuário não pode ser fisicamente identificado;
  • A transação por bitcoin não pode ser bloqueada, pois não existe intermediários;
  • O usuário não precisa ter uma identidade real para obter bitcoins;
  • Entre outras razões que colocam em risco a segurança de dados.

Cuidado: a segurança de dados e informações com especialistas é essencial para evitar crimes virtuais com o uso do bitcoin.

Compartilhe: