Skip to main content

Acesso remoto seguro: por que ter uma autenticação de dois fatores (2FA)?


A pandemia foi um acelerador e um catalisador de tendências que já estavam acontecendo no acesso remoto às ferramentas de trabalho. Desde então, seja na cadeira de praia, na sacada de um chalé na serra ou no escritório em casa, é possível ter acesso aos sistemas da empresa, apenas com uma conexão à internet.

De uma hora para outra, foi preciso que todo mundo se tornasse especialista em fazer reuniões de forma online por aplicativos de videoconferência. Logo, os departamentos de TI tiveram que correr para implantar diferentes tipos de acesso remoto, comprar notebooks e disponibilizar esses acessos para os colaboradores que passaram a trabalhar remotamente.

Para ajudar a melhorar a segurança cibernética de seus colaboradores e empresas, a autenticação de dois fatores ou 2FA se torna um suporte indispensável.

Continue acompanhando este artigo para entender em detalhes como ter um acesso remoto seguro com a 2FA na sua empresa.

O que é acesso remoto?

Afinal de contas, o que é acesso remoto?

Se você precisar acessar seu computador de longe ou prestar suporte a outra pessoa mexendo na própria máquina, o acesso remoto pode ser a solução.

Normalmente ele funciona como uma ponte entre um computador e outro compartilhando, além da tela, a capacidade de utilizar programas, visualizar arquivos, controlar as alterações e as funcionalidades, à distância só com o acesso à internet.

Até aí, já dá para perceber que tanta facilidade pode virar uma porta aberta para criminosos mal intencionados, não é mesmo?

O que acontece se não tiver um acesso remoto seguro com 2FA?

Infelizmente, muitas dessas portas abertas para o trabalho remoto são exploradas por criminosos para invadir sistemas, sequestrar dados, ludibriar pessoas e, ao fim e ao cabo, subtrair dinheiro de pessoas e organizações.

Para se ter uma ideia do avanço do cibercrime, o Center for Strategic and International Studies (Centro para Estudos Estratégicos e Internacionais) estima que o custo global do cibercrime em 2020 chegou a 945 bilhões de dólares, quase o dobro do valor estimado para 2018, que era de 523 bilhões.

Já no Brasil, várias empresas foram vítimas, algumas chegando a ficar com parte de suas operações paradas por dias seguidos. O ataque mais comum observado foi o de sequestro de dados, que consiste em criptografar dados da empresa com uma chave digital que somente o criminoso conhece, remover os dados originais e extorquir a vítima para fornecer a chave, que permitiria a leitura dos dados.

As fraquezas e vulnerabilidades que foram exploradas nos ataques variam, mas quase dois terços (61%) dos ataques envolveram credenciais, segundo o “2021 Data Breach Investigations Report´´ (Relatório de Investigações de Data Breach de 2021). Credenciais são, tipicamente, senhas e outros tipos de chaves digitais utilizadas para ganhar acesso a sistemas.

Por isso, no atual cenário de ameaças, em que 80% dos ataques tiveram participação de crime organizado, é necessário reforçar as defesas. E o acesso remoto é, tipicamente, a primeira porta utilizada pelos criminosos para chegar até a empresa.

Se você ainda tem somente uma senha para proteger o acesso remoto da sua empresa, você precisa agir imediatamente pois, o vazamento de senhas e chaves digitais está presente em 61% dos ataques.

Como proteger a sua empresa?

A melhor forma de se proteger é adotar mais um, ou múltiplos, fatores de autenticação no acesso remoto para garantir a segurança da primeira porta de acesso aos sistemas da empresa. O uso de um segundo fator de autenticação (2FA) no acesso remoto é hoje indispensável.

Baseado em mais de 20 anos de experiência com diversos tipos de fatores de autenticação, atualmente recomendamos utilizar tokens (código de segurança) gerados por aplicativo de smartphone. Tipicamente, esses tokens são formados por 6 números aleatórios que o usuário deve digitar após se autenticar com a senha.

Adicionalmente, nosso sistema de Cloud Single Sign-On (CSSO) permite o uso e a combinação de múltiplos fatores de autenticação (MFA) em diferentes ordens de prioridade para facilitar a experiência do usuário, bem como, em breve lançaremos a possibilidade de autenticação sem senha.

Não restam dúvidas que a melhor forma de garantir um acesso remoto seguro e 2FA em tempos de home office é indispensável para o seu negócio. Ainda mais quando se tem uma solução completa e escalável com inúmeros benefícios, que permite o controle de acesso centralizado com uma senha única para os seus colaboradores ou clientes, a automatização da concessão e revogação de direitos, geração de relatórios e evidências para auditorias.

 

Leia também:

• Tecnologias para a segurança no trabalho presencial, remoto e híbrido
Prevenção de Ciberataques em Sistemas com Acesso Remoto
O que é SSO ou Single Sign-On?