Skip to main content

6 principais indicadores de segurança da informação que a sua empresa precisa ter

By 25 de maio de 2022maio 27th, 2022Acessos e SSO, Gestão de Identidade

Não restam dúvidas, que os ciberataques são uma das maiores ameaças as empresas, visto que, ainda é bastante comum encontrar organizações que não adotaram protocolos e práticas de segurança da informação ou cybersecurity.

Já no primeiro trimestre de 2021, o Brasil foi o 5º país que mais passou por incidentes de cibercrimes, com aproximadamente 9,1 milhões de ataques. Além disso, registrou um aumento de 68% em comparação com o número do ano anterior, segundo o Relatório Anual de Violações de Dados, do Identity Theft Resource Center.

Dados como estes, reforçam cada vez mais, a importância dos indicadores de segurança da informação nas organizações, tanto para a construção de novos negócios, quanto para análise da eficácia das estratégias aplicadas, igualmente, na avaliação das ações que evitam ataques de cibercriminosos.

Por isso, separamos os 6 principais indicadores de segurança da informação que sua empresa precisa levar em consideração na hora de evitar essas ameaças, continue acompanhando.

Conheça os principais indicadores de segurança da informação que sua empresa precisa ter

O trabalho remoto ou híbrido trouxe inúmeros benefícios para empresas e colaboradores, não é mesmo?

Porém essa situação se tornou favorável também, para os hackers que aproveitaram a oportunidade para atacar os sistemas empresariais vulneráveis e não preparados. Além dos principais indicadores de segurança da informação que mostraremos logo abaixo, ter um projeto de gestão de governança identidade, auxilia ainda mais na redução de vulnerabilidades relacionadas à identidade e na criação de políticas para gerenciar a conformidade de acesso.

Agora sem mais esperas, confira os principais indicadores de segurança da informação:

1. Score de riscos

O score de riscos é um indicador em que o profissional especializado pontua os principais riscos enfrentados para analisar, objetivamente, os cuidados com a cibersegurança. Este score analisa as principais categorias, entre elas:

  • Segurança de rede;
  • Engenharia social;
  • Segurança de sistemas;
  • Integridade de DNS, entre outros.

Cada uma delas recebe uma nota e, assim sendo, é possível comparar esses valores ao longo do tempo (analisar se aumentaram ou diminuíram) e, também, analisar se suas ações estão mais eficientes que a dos concorrentes ou será preciso mudá-las para potencializá-las.

2. Riscos de ativos

Para promover uma gestão de riscos de ativos eficiente é fundamental que os responsáveis tenham ciência do índice de dispositivos que estão em conformidade com as medidas de mitigação de riscos e quais estão ainda em situação de maior risco de problemas.

O objetivo é hierarquizar os ativos com maiores riscos de segurança e permitir priorizar as ações, proporcionando uma melhor gestão de tempo na prevenção e resolução de questões. Alguns dos principais riscos avaliados neste indicador são:

  • Quantos dispositivos passaram por processos de correção de vulnerabilidades, adoção de medidas de proteção e estão devidamente atualizados;
  • Quantos usuários possuem credenciais administrativas, com acesso a um maior volume de dados sensíveis;
  • Quantos ativos possuem maior possibilidade de problemas de segurança segundo suas características e natureza da atividade;
  • Quais os indicadores de eventuais riscos de cada unidade da empresa.

3. Tempo médio para detecção e tempo médio para resposta

Esse terceiro indicador é muito importante, pois está relacionado com a capacidade da empresa de identificar um problema e, também, para respondê-lo. O Tempo Médio para Detecção (MTTD) fala sobre o tempo que demora para um problema de cibersegurança começar e um profissional identificá-lo, ou seja, está alinhado com as ferramentas de detecção de ameaças.
Já o Tempo Médio para Resposta (MTTR) é um indicador que diz respeito ao tempo entre a detecção e a reação diante da sua identificação. Quanto mais espaçamento há entre esses dois, maiores as chances de que uma tentativa de ciberataque tenha sucesso.

4. Ambiente

Esse indicador visa avaliar de que forma a estrutura do ambiente interno e externo pode contribuir para favorecer ou atrapalhar as medidas de segurança da informação e identificar a necessidade de modificar a situação interna.

Alguns dos pontos que esse indicador avalia são:

  • Conformidade com a legislação vigente;
  • Análise de como a empresa pode sofrer sanções financeiras diante de problemas;
  • Análise dos danos que o negócio pode sofrer em caso de ocorrências de ciberataques;
  • Quais são os dados internos que precisam de maiores cuidados e como estão estabelecidos os controles de acesso.

A partir disso, é possível identificar se a arquitetura interna do seu negócio favorece as medidas de segurança da informação implementadas e, caso contrário, sinalizar quais as mudanças estruturais para evitar fraquezas e vulnerabilidades que podem ser exploradas. E, também, permite identificar como o ambiente externo impacta nas medidas internas.

5. Identificação de apontamentos

O indicador de segurança da informação “identificação de apontamentos” permite que analise a forma como as ferramentas de prevenção e detecção estão atuando no dia a dia. Isso vale tanto para as tentativas de ataque que eventualmente deixam passar, quanto para os falsos positivos.

Com isso você consegue analisar se, de fato, as ferramentas utilizadas estão sendo eficientes ou se é necessário realizar a troca e resolver eventuais lacunas que estejam presentes.

6. Total de eventos

Este indicador permite mensurar o total de eventos adversos que aconteceram em determinado período. Aqui podemos dividir em categorias:

  • Total de eventos;
  • Eventos que realmente foram bem-sucedidos;
  • Eventos impedidos por ferramentas de proteção (como antivírus, firewall, entre outros).

Mas o que configura um evento? São todas as ações que, de alguma forma, colocam em risco a segurança de dados em determinado período de tempo. Estão entre eles:

  • Infecções por malwares;
  • Intrusão de hackers;
  • Sequestro de dados;
  • Perda de informações;
  • Vazamento de dados, entre outros.

A partir dele é possível avaliar a resposta da organização. Por exemplo, se o número total de eventos são os mesmos, mas o número de ações concretizadas reduziu, portanto isso significa que suas medidas de segurança estão sendo efetivas para impedir ações de cibercriminosos.

Ou seja, por meio de informações comparativas é possível analisar e obter melhores resultados neste quesito. Ao mesmo tempo, também, se os resultados piorarem, sinal de que é preciso intervir, pois pode significar que suas ferramentas não estão sendo eficientes ou, então, que as ações de criminosos estão sendo mais incisivas.

Analisar os principais indicadores de segurança da informação é fundamental para identificar o sucesso das suas estratégias na empresa. Caso contrário, as chances de que cibercriminosos tenham suas ações bem-sucedidas elevam-se bastante.

E em um cenário em que os incidentes estão aumentando exponencialmente, não é possível mais deixar esses cuidados de lado. Segundo a Reason Labs, 2022 será um ano em que os hackers voltaram seu olhar para os consumidores e uma forma de protegê-los é, justamente, cuidando dos dados organizacionais (já que este é um ponto de acesso importante para que as ações deles se concretizem). Por isso, não deixe de estar atento a essas questões, ok?

Para analisar de forma adequada esses indicadores, é fundamental que você saiba o nível de segurança da sua empresa. Por isso, recomendamos que você faça o nosso teste de segurança da informação, com ele você saberá se seu negócio está seguro ou não e quais ações tomar frente ao nível de segurança atual de sua organização.

 

Leia também: