Skip to main content

5 erros de segurança da informação que você deve evitar

Artigo 5 erros de segurança da informação que você deve evitar

 

A segurança da informação precisa cada vez mais de atenção no dia a dia, principalmente porque o número de ciberataques tem aumentado consideravelmente nos últimos anos. Por exemplo, o número de ataques cibernéticos cresceu 46% no segundo trimestre de 2022 no Brasil, onde o país possui em média 1540 incidentes por semana.

De cara esse número já assusta qualquer um, mas se olharmos para outros dados, a situação piorará ainda mais, pois entre 2021 e 2020, houve um aumento de 77% no número de ciberataques sendo a tendência que o mesmo número tenha um aumento expressivo nos próximos anos.

Além disso, os custos de problemas desta natureza são altos, visto que em 2021, a estimativa de prejuízos financeiros foi de US$ 6 trilhões em perdas diretas. Isso sem contar os danos indiretos, como problemas de imagem e perda de confiança dos clientes e do mercado.

Depois de ver todos esses dados, confira a seguir quais são os 5 principais erros de segurança que você não deve cometer na sua empresa.

Veja os 5 os erros de segurança da informação

Muitos dos prejuízos que você viu na introdução deste artigo ocorrem devido a erros de segurança da informação, muitas vezes por negligência, falta de planejamento ou qualquer outro motivo. Quando eles são corrigidos, é possível detectar maiores problemas precocemente, agir de forma proativa e evitar incidentes que coloquem a empresa em risco.

Veja a seguir os 5 erros que encontramos com maior frequência nas empresas. Papel e caneta na mão.

1. Não ter um plano de segurança da informação

Uma falha primária e que muito se vê por aí, é não ter definido previamente um plano de segurança da informação para a empresa. As ações sem planejamento, de uma forma livre, podem levar a uma série de complicações.

Por exemplo, o plano de segurança da informação define quais são as ações que devem ser elaboradas quando um ataque ransomware (de sequestro de dados por meio de criptografia) começa a acontecer. Ações erradas aqui podem piorar ainda mais o estrago e piorar os prejuízos, gerando a concretização da ação.

Com um plano de segurança da informação é possível definir ações específicas que todos deverão fazer e, com isso, evitar falhas nas condutas, ajudando em uma identificação mais ágil e postura proativa para evitar problemas.

2. Não estabelecer níveis de acesso

As informações não podem ser de fácil acesso para todos os usuários, ou cria-se mais portas de vulnerabilidades para os hackers. Pense em uma analogia com o número de janelas e portões em uma casa.

Quando você tem muitas janelas e portas, é preciso cuidar de todos os pontos para promover maior segurança, para evitar que um ladrão entre no local. Ou seja, os cuidados precisam ser maiores, pois ele terá maiores pontos de entrada.

O mesmo vale para os dados da sua empresa, quanto mais pessoas possuem acesso a todos eles, mais pontos de acesso um cibercriminoso terá, facilitando sua ação.

Por isso, os controles de níveis de acesso são importantes. Dados mais sensíveis e que são sigilosos devem estar acessíveis apenas para quem precisa deles no dia a dia. E, claro, não menos importante, é fundamental implementar as ações necessárias para garantir a segurança dessas credenciais.

3. Dificuldade na detecção de ameaças

Outro erro de segurança da informação comum é a dificuldade na detecção de ameaças. Isso acontece porque há uma falta de uso de ferramentas de monitoramento.

Muitas vezes há sinais de eventuais problemas que podem acontecer e que mostram-se precocemente. Por exemplo, em ataques DDoS, é possível identificar previamente um aumento no volume de acessos e, assim, trazer as medidas para impedir a paralisação do serviço sem precisar desviar o seu foco.

A detecção de ameaças também é feita com ferramentas importantes como os antivírus, por exemplo. Se você não utilizar ferramentas adequadas para isso, um vírus poderá passar pela barreira falha e atingir os dispositivos da empresa, causando enormes prejuízos.

Não podemos esquecer de falar também da falta de testes de vulnerabilidade (conhecidos como Pentest). Isso é importante, principalmente, se você utiliza ferramentas próprias em sua empresa. De que forma elas se comportam diante de tentativas de ataques no dia a dia? Dependendo da resposta, isso pode incorrer em facilitar o ataque de cibercriminosos.

4. Não ter um plano de contingência

Mesmo com todas as medidas que listamos anteriormente, é possível que um tipo de ataque ou falha aconteçam. Por isso, cuidar da segurança da informação envolve, também, que você saiba o que fazer nos casos em que um problema acontece.

Por exemplo, a segurança da informação não está alinhada apenas com as ações de cibercriminosos, mas com problemas com intercorrências inesperadas. Vamos supor que o serviço de cloud computing utilizado pelo negócio fique indisponível, como a sua empresa deve proceder?

O passo a passo nessa situação deve estar previsto em um plano de contingência, permitindo que todos os colaboradores saibam o que fazer nessa circunstância, padronizando os processos.

O plano de contingência ajuda, portanto, a minimizar as chances de que um ataque possa ter sucesso e, ao mesmo tempo, também ajudar a evitar a paralisação das atividades no dia a dia. Isso deve estar presente em um documento devidamente elaborado e divulgado para aqueles que devem saber como agir em caso de problemas.

5. Não se atualizar em relação às principais práticas do mercado

Outro ponto importante a se considerar é que a segurança da informação precisa estar sempre sendo atualizada. Isso porque as ações de cibercriminosos também vão evoluindo ao longo do tempo e demandam novidades para conseguir tanto minimizar ocorrências quanto saber identificá-las quando acontecem.

Uma falha muito comum é adotar um protocolo de segurança da informação, com medidas e políticas específicas, mas não se preocupar em atualizá-lo ao longo do tempo. Com isso, as chances de que ele fique defasado rapidamente e não contemple ameaças novas é muito grande.

Talvez esta seja uma das falhas mais graves de segurança da informação e, infelizmente, uma das mais cometidas. Por isso, não deixe de ficar atento a essas questões no dia a dia.

É importante considerar todos esses pontos para evitar os prejuízos gerados por cibercrimes e problemas proporcionados por falhas de segurança da informação. Então analise quais deles você realiza em sua empresa e comece a fazer as alterações necessárias para este fim.

Para evitar a falta de atualização, que é um dos erros mais graves que você pode cometer, é importante acompanhar os melhores conteúdos sobre o assunto. 

Veja o eBook incrível que nós preparamos sobre Tudo Sobre Proteção de Dados. Baixe-o e tire suas dúvidas.

Assine a nossa newsletter e receba conteúdos direto no seu e-mail!